Total de visualizações de página

segunda-feira, 6 de junho de 2011

EXU ONAN

Levou uma oferenda para bem distante do seu lar:
- panos de cetim coloridos, perfumes, sensações...
e todos perguntaram quando ele iria voltar?
Levou os desejos feridos e inatingíveis
Todas as decisões inadiáveis, imaginações
Levou pro mar e pra cachoeira
Levou o que poderia expor
E tambem os seus segredos
Na velocidade de uma louca enchente, vazou;
Levou mel de abelhas nas grutas e entranhas da Terra
E todos perguntaram quando ele iria voltar?

Procurou pessoas na amplitude de espaços abertos
Nas clareiras e nas matas, viajou terras estranhas
espionou costumes exóticos, línguas desencontradas
Montanhas e topos gelados,descansou:
Céu noturno por testemunha de suas andanças
Devolvendo e oferendando riquezas
Que o sangue e olhos rubros sabem cobiçar

Nada jamais escaparia de suas garras
Incontáveis existências precoces brotaram
         de suas oferendas
          de suas andanças
Em todos os lugares, olhos, bocas, mãos, corações...
E ele nunca mais voltou!

08/05/2011


EXU ONAN

It took an offering to far away from home:
- Colored satin clothsperfumessensations ...
and everyone asked when he would return?
It took the wounded and unattainable desires
All decisions at handimaginations
Led to sea and to waterfall
It took what could expose
And also their secrets
At the speed of a mad flood, leaked;
It took honey bees in the caves and bowels of the Earth
And everyone asked when he would return?

Looked at people in range of open spaces
In the clearings in the woods and traveled strange lands
spied exotic customslanguages ​​unmet
Mountains and icy tops rested:
Night sky to witness his wanderings
Returning oferendando and wealth
That blood and crimson eyes coveting know

Nothing will ever escape their clutches
Countless stocks sprouted early
          their offerings
           his wanderings
Everywhereeyes, mouths, hands, hearts ...
And he never came back!

08/05/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário